Dos lagos congelados de Valdresflye ao Estádio Olímpico de Lillehammer

A descrição da Valdresflye no site Nasjonale Turistveger não pode ser mais verdadeira: “Driving in the open sweep of the landscape can be compared with the feeling of flying”. Em um certo momento, a estrada vira um descampado de neve, lagos congelados e colinas, e segue cortando uma paisagem deslumbrante. O nosso carro parecia ser o único nessa rota, e era como se estivéssemos voando sozinhos por essa paisagem.

Elina na estrada de Valdresflye

Elina na estrada de Valdresflye

A rota em si é extremamente curta, mas três fatores nos fizeram demorar uma manhã inteira para percorrê-la: o dia lindo, a paisagem espetacular, e o tempo de sobra. Fizemos tudo com muita calma, aproveitando cada segundo desse nosso último dia de viagem pelo país.

"Turisteando" na Valdresflye

“Turisteando” na Valdresflye

O sol deixava a sensação térmica mais agradável (acima de 0ºC, pelo menos), mas ainda fazia bastante frio, e os lagos permaneciam congelados. Para nós, brasileiros, que não estamos acostumados com esses cenários, tudo era motivo de vislumbre. E cautelosamente tentávamos desafiar a solidez do gelo.

Frozen Lake at Valdresflye de Bruno Nonogaki no 500px.com

Lago congelado na Valdresflye

Conforme a rota vai se aproximando ao fim, a paisagem deixa de ser de neve e lagos para dar lugar a cenário mais rochoso, com vegetações rasteiras e amareladas pelo outono.

Nada mais propício que uma mesa de pedra na beira da estrada para dar uma descansada

Nada mais propício que uma mesa de pedra na beira da estrada para dar uma descansada

O destino final do dia era a cidade de Lillehammer, sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1994. Seria a primeira cidade mais populosa que entraríamos depois de 10 dias no meio da natureza. A ideia de encarar semáforos, estacionamentos pagos e ruas movimentadas não nos motivava nem um pouco…

No entanto o caminho até lá foi belíssimo! Não era nenhuma rota turística, mas a Noruega continuava nos presenteando com lindas paisagens compostas por lagos e árvores amarelas.

Lake in Norway de Bruno Nonogaki no 500px.com

Um lago qualquer a caminho de Lillehammer

Por fim, chegamos em Lillehammer. Como era a primeira noite em uma área mais urbana, não quisemos perder a oportunidade para comer num lugar melhorzinho. Saímos para andar no calçadão e começamos a caçar restaurantes. E adivinha… tudo fechado!!! Era por volta das 21h e não tinha mais movimento algum, os poucos restaurantes estavam já encerrando o expediente. É, realmente estamos mal acostumados com São Paulo… o jeito foi comer na Peppes Pizza (pelo menos é uma rede Norueguesa)! haha

 

A única opção foi a Peppes Pizza! hehe

A única opção foi a Peppes Pizza! hehe

E assim passamos a nossa última noite de camping. Escolhemos um lugar bem especial para dormir: ao lado do estádio olímpico! Fez um frio de trincar os ossos à noite, e o carro amanheceu todo coberto de gelo. Enquanto isso, do lado de fora, as pessoas íam trabalhar normalmente com um casaquinho, só para não esfriar o corpo! hahaha

Acampando ao lado do Estádio Olímpico de Lillehammer

Acampando ao lado do Estádio Olímpico de Lillehammer

E no amanhecer do dia seguinte partimos para Oslo… =(

 

Roteiro do Nono Dia

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s