Barnafoss & Hraunafossar

O segundo dia na Islândia começou mais promissor. Pegamos a estrada cedo sentido Barnafoss/Hraunfossar e o sol ameaçava aparecer. Não era aquele céu limpo que desejávamos, mas só de não estar chovendo já enchia o nosso coração de alegria.

O itinerário planejado para o dia era longo, pois queríamos passar pelas cachoeiras Barnafoss e Hraunafossar, pela cidade de Reykholt, e depois seguir para Helissandur, passando pelo parque Snaefellsjokull. Bastante coisa para um dia só.

A primeira parada do dia foi em Barnafoss (Cachoeira das Crianças), uma cachoeira azul turquesa que desce cortando um campo de lava. Diz a lenda que duas crianças estavam atravessando uma ponte de pedra sobre essa cachoeira quando caíram e morreram afogadas. A mãe, quando soube, colocou um feitiço na ponte dizendo que ninguém nunca a atravessaria sem se afogar. Um tempo depois, essa ponte foi destruída por um terremoto. Verdade ou não, realmente a força das águas impressiona, mas hoje em dia todo o local é equipado com pontes e decks de madeira, existe até delimitações de onde o turista pode ir. Acho que o feitiço da mãe não é mais válido, porque atravessamos essa ponte de madeira várias vezes! hehe

Barnafoss in Autumn de Bruno Nonogaki no 500px.com

Cachoeira Barnafoss

Andando por uma pequena trilha a partir da Barnafoss, chegamos em um mirante para a cachoeira Hraunafossar (Cachoeira de Lava). Ela é linda especialmente no Outono. A água dela vem de fontes subterrâneas que se infiltram na lava e caem como pequenas cachoeiras no rio Hvita. Só na Islândia mesmo…

Hraunfossar Waterfall de Bruno Nonogaki no 500px.com

Cachoeira Hraunafossar

Seguindo viagem, fizemos uma rápida parada nas margens do rio Hvita para abastecer os nossos galões de água. Não há porque comprar água no país que se tem a melhor água natural do mundo, não é mesmo? É só pedir autorização para a Mãe Natureza, e se servir da preciosidade que ela oferece.

Elina pegando água no Rio Hvita

Elina pegando água no Rio Hvita

No caminho de volta, ainda paramos brevemente em Reykholt, cidade natal de Snorri Sturluson, criador das famosas Sagas islandesas, principal fonte para a mitologia nórdica. Lá funciona um museu, mas infelizmente não tinhamos tempo para visitá-lo. Uma pena! E tem também uma pequena piscina de águas termais chamada Snorralaug. Acredita-se que essa piscina tenha sido usada pelos locais desde o século XII, sendo talvez a mais antiga Hot Springs na Islândia a ser usada pelo homem.

snorralaug-hotspring-reykholt-iceland

Snorralaug – Snorri’s Pool

De lá, seguimos viagem para o Snaefellsjokull National Park. E o tempo começou a fechar.

 

Roteiro do Segundo Dia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s